Simon diz…

kisspng-simon-merlin-scattergories-the-game-of-life-operat-colored-style-5ae58895ab37c2.1113914515249921497013Sabe aquele cidadão que fica no seu ladinho te dando aquela dica naquilo que você está fazendo? Pois é, este é o famoso papagaio de pirata ou como naquele jogo, o Simon que você deve fazer o que ele diz. Quando comecei com o negócio de vender marcas para clientes foi quando conheci aos montes esta personalidade. Mas a verdade é que fazer uma marca ou qualquer outro tipo de trabalho com um cliente ao seu lado pode ser doloroso e impagável. Hoje as pessoas são bombardeadas de informações transformando todo vivente em um potencial crítico de tudo.

Uma certa vez em um trabalho de edição de vídeo conheci um cliente assim. Na edição-não-linear você enxerga os pequenos clipes de video na tela e isto te dá a noção de que parte do filme se trata. Quando o cliente percebeu isto ele começou a operar minha mão literalmente, Simon diz… Esse fica ali, Simon diz… Este outro ali… O mais engraçado é que eu não atendi nenhum pedido dele, nadinha! Não por maldade, mas porque literalmente o que ele pedia não fazia sentido. A parte engraçada da história era que quando eu dava o play para visualizar o filme editado ele dizia, está perfeito! E ainda completava, sua profissão é muito fácil em!? É só apertar botões… 😄🙄

Manter a calma neste momento é crucial. E com a minha experiência adquirida eu te digo, é comum o cliente não saber o que ele quer, é comum ele querer participar, é comum ele querer ditar, o que não deve ser comum é você permitir que o trabalho seja feito da maneira errada só porque você está com medo de perder o trabalho, lembre-se, afinal você trabalha com isso, você estudou para isso, então posicione-se. Agora se você é um chutador, então entra em campo e começa a chutar com o Si Continuar lendo “Simon diz…”

É meu aniversário, me dá um presente? :)

sprite_logo-05Dia 2 de agosto é meu aniversário, 43, como o tempo voa! Mas o melhor presente que eu poderia ganhar é o lançamento do aplicativo que estive desenvolvendo sozinho durante os últimos 4 meses. Animals on the planet. Este aplicativo que é fruto da minha força e persistência de acreditar e nunca desistir. Também tem um sabor especial porque coloca a mim artista de longa data no caminho da programação, outra área de grande importância no desenvolvimento de jogos. Fica o meu testemunho para os amigo artistas, ligar a área lógica do cérebro não é uma tarefa fácil.

Eu tenho muita empatia pelos animais que sofrem muito com aquilo que nós chamamos de “progresso”. Sofrem quando nos alimentam e quando nos alimentamos deles, sofrem quando nós os abandonamos, quando empurramos eles para longe de suas casas para colocar as nossas casas, quando os aprisionamos, enfim… Toda essa triste realidade me fez criar este aplicativo. Meu objetivo é contar um pouquinho mais sobre estes animais. Mas sinceramente, acredito que quando falamos mais sobre os animais, eles estarão mais presentes em nossos pensamentos guiando nossa consciência para fazer o que é certo.

Animals on the planet é um aplicativo que fará os pequenos viajar em diversos locais do planeta, explorando e conhecendo melhor estas magníficas criaturas que são os verdadeiros donos do planeta. Construi o aplicativo para ser modular, então mais animais e novos locais vão aparecer nas próximas atualizações. Além da exploração, adicionei um divertido game quiz para praticar o conhecimento adquirido no aplicativo, e é claro um extenso material didático específico de zoologia. Muita pesquisa, muitos detalhes e muita paixão foram adicionados no desenvolvimento deste aplicativo. Agora estou te pedindo um presente de aniversário. Baixa ele e dá aquela força para este desenvolvedor indie que nunca desiste!? 🙂

applec

Multi man

image.png

Quando entrei no mercado de entretenimento definitivamente eu não estava dando as cartas. Não pude escolher as portas certas para alavancar minha carreira. As disponíveis para os meus interesses eram portas distantes, outras apertadas demais e outras verdadeiras armadilhas. Frente a essa realidade eu tive que me adaptar as circunstâncias, e como eu costumo dizer, a cada novo desafio eu tive que inserir um novo módulo de conhecimento nesta carcaça, pois somente desenhar não me garantiria minha própria sobrevivência.

Pessoas do meu círculo acham que eu tenho um don divino, que fui abençoado, que sou louco ou que eu sou um gênio. Mas o fato é que tudo isso é fruto de muito estudo, horas lendo sobre assuntos diversos que se conectam quando eu preciso deles. Mantenho uma frase em meu whats que me ajuda a organizar o que eu aprendo, é a seguinte: Como um barco a sua mente leva o que você escuta e você como capitão decide quem embarca ou não. O que sei hoje, também é com certeza fruto de cada função que exerci em minha carreira profissional.

Multi man é o que eu sou hoje. Um generalista com muitos módulos de conhecimento. Da arte a programação, da animação a ilustração, da edição de vídeo ao design de som, da produção ao game design entre outras skills que guardo com carinho… Para me manter vivo me modifiquei, me reinventei. E por isso, hoje sou capaz de fazer meus próprios jogos completamente sozinho, muitos com qualidade superior a muitos estúdios com dezenas de pessoas, sou capaz de elevar um projeto a um nível que você jamais imaginou. Mas é quando eu coloco meu coração que transformo um camarão em um Kraken!

Cobre o justo ou não cobre!

value.jpg
Quando eu quis ingressar no mercado, aconteceu comigo o que acontece com a maioria dos profissionais iniciantes, uma ansiedade para entrar o mais rápido possível no mercado de trabalho. Muitas vezes o caminho mais óbvio e fácil para forçar esta entrada é a desvalorização do seu próprio trabalho, em outras palavras, cobrar barato. Acontece é que isto alimenta um circulo vicioso e perigoso. Em resumo, cedo ou tarde isso voltará contra você e quando tentar cobrar o justo provavelmente não irá conseguir.

Gostaria de dizer que eu não fiz isso em minha carreira, mas o fiz. Parte porque eu precisava pagar minhas contas, parte por medo de não ser aceito no mercado, e claro, parte por falta de experiência. Me lembro que quando comecei a criar marcas, eu conseguia vende-las por até 2k! Hoje tem profissionais cobrando 5 dólares por 3 versões da marca, e olha que o resultado não é ruim… O que eu quero dizer com isso é que cada vez mais você terá que entregar mais por menos. Um dos meus professores uma certa vez me disse: O desconto é a cocaína do mercado. O cliente uma vez viciado, sempre vai querer mais.

Eu também já recusei trabalhos que o cliente queria aplicar um preço não compatível com o mercado, mesmo precisando do dinheiro. Destes trabalhos que eu recusei, o que soube depois é que o cliente conseguiu um preço ainda mais baixo do que ele mesmo buscava, claro, com qualidade a desejar. Então você pergunta: se eu me recusar a cobrar barato outro profissional irá fazer o trabalho que poderia ser meu? Vai. Está cultura já está impregnada no mercado. Mas o que deixo aqui para você refletir é: valorize-se,
e não deixe que digam o quanto você vale, só quem pode dizer isso é você mesmo.