Aprendendo a continuar…

Hoje quando pinto com tinta acrílica me lembro dos meus primeiros passos quando comecei com o desenho, com a computação gráfica, com a edição de vídeo, com a fotografia, e muitas outras coisas que quis desenvolver. Sabe o que todas eles têm em comum? O desafio de continuar.

Depois de levar alguns tombos, realmente o que te passa na cabeça é desistir. Tu fala, isso não é para mim. Isso é muito difícil. Não tenho capacidade. Mas a verdade é que a maioria das pessoas para nesse degrau, isso mesmo, esse momento é um degrau. Depois deste degrau que tem o tamanho que você quiser, seu conhecimento aumenta, você passa a conhecer outros caminhos.

Uma boa prática além de estudar é buscar histórias de superação, pessoas que te ajudem a seguir em frente, que passaram por estes degraus. Buscar entender que errar faz parte do processo e que é tão importante quanto aprender uma técnica nova.

Eu sou designer de som sim senhor! :)

Uma das minhas grandes paixões sempre foi criar músicas. As vezes fazia isto com a boca mesmo, nada do velho clichê cantando no chuveiro eu faço mais a linha beatbox. Eu já tive alguns bons instrumentos como, violão, flauta, umas 3 guitarras e 5 teclados. O meu preferido sempre foi o teclado, mais especificamente os sintetizador, o melhor que cheguei a ter foi um Alesis QS6.1, olha ai em baixo a foto do bichão! Eles trazem recursos sonoros e facilitam a composição mesmo para quem não entende nada de música.

qs61

Se você me perguntar se eu sei tocar algum destes instrumentos prefiro dizer que não sei. Se me pedir para tocar a música de alguma banda vou dar risada e fazer igual ao leão da montanha, saída pela direita. Mas então como diabos ele faz música já que ele não conhece as notas nem toca música de ninguém? A verdade é que eu recorro a beleza e a harmonia dos sons misturado ao meu gosto pessoal e meu conhecimento técnico em som. Tipo poeta que não sabe escrever, conhece algum?

Uma das minhas primeiras trilhas sonoras bem sucedidas e quando digo isso foi aquela que consegui construir do inicio ao fim, foi a que eu fiz para o Monstros vs Robôs, um livro interativo que desenvolvi para iOS e Android que também fiz sem saber programar, verdade, o não saber nunca me segurou por muito tempo. O que mais me incentivou a fazer as músicas foi a falta de opções para se comprar na internet.

960x320withoutSeal
Monsters vs. Robots, my first app/game – 2014

Conheci várias ferramentas eletrônicas como o Fruit Loops e o Reason, mas as ferramentas que uso hoje para compor minhas trilhas vão desde o Audacity (ferramenta de edição de som gratuita), Meu amado Garage Band, Apps diversos no meu iPad e meu controlador midi que uso para compor a melodia central. Depois que me acostumei com o processo e com estas ferramentas não parei mais de compor e hoje produzo músicas para praticamente todos os jogos que faço.

Mas e as influências? Eu vou te dizer que gosto de todos os bons sons, aqueles com harmonia, não ligo muito se é pop, rock, metal, clássica, sertanejo, techno, rap, funk… É só não esquecer da palavra harmonia que tá tudo bem!  E na hora de compor aquele bom e velho silêncio é sempre bem vindo!

Cadê as músicas??? Taqui ô, alguma tá?!:

Comenta ai e me diz o que achou, só não vem com aquelas frases, como músico você é um ótimo ilustrador hehehe. Dai vou ter que te dizer que quando comecei a ilustrar eu também não sabia ilustrar, não conta pra ninguém em!

Ataque Pirata – Pintura Acrílica sobre tela.

Eu sei, eu exagerei! Pegar uma das minhas melhores ilustrações para fazer uma releitura em acrílico é um tanto cedo. Mas como eu costumo dizer, um bom desafio é aquele que imprime dificuldade.

Desta vez tentei deixar o traço mais livre, nem mesmo um guia a lápis eu fiz. Deixei tudo a cargo das pinceladas. Meu objetivo é alcançar o estilo do movimento do impressionismo. Difícil para mim que venho dos detalhes, se observar minhas ilustrações todas trazem muitos detalhes.

Não acho que tenha conseguido me livrar dos detalhes ainda. Mas meu bloco de telas que tinha 10 telas agora só tem 7. Cada tela, ou melhor, a cada pincelada acredito que evoluo mais um pouco. Peço desculpas por não registrar apropriadamente este trabalho, mas a velocidade me impediu de tirar mais fotos, no total foram 3 horas aproximadamente.

Como você deve saber, o movimento ficou conhecido por desrespeitar as regras acadêmicas da época. O objetivo era captar a essência do momento através de pinceladas rápidas sem se preocupar com detalhes. A obra que tem me inspirado é uma do Monet: Sol Nascente. Acho que é a que mais retrata aonde eu gostaria de chegar.

As cores:
Preto
Branco
Vermelho da China
Amarelo
Ocre

Ainda estou no meu set básico de pincéis (Tigre). Estou ansioso para usar o anti-secante que comprei para misturar a minha tinta acrílica. Na próxima pintura tentarei usar ele e faço comentários de como foi minha experiência.

8 anos de Deviant Art

Parece que foi ontem quando conheci o Deviant Art. Na época um site aonde pequenos artistas colocavam seus trabalhos, não era tão famoso, sites como o cgtalk e o conceptorg ficavam com os artistas mais famosos.

Hoje o Deviant Art abriga artista de todas as grandezas! Fazia tempo que eu não entrava em minha conta, encontrei até pedidos renumerados para usarem minhas artes, só que os pedidos tem mais de 11 meses 😓! Será que ainda vale?

Ei que tal uma visitinha no meu Deviant Art? Tem meus grandes trabalhos lá. Não esquece de deixar um oi para mim!

amoraleite.deviantart.com

Pintura com tinta Acrílica

Nestes últimos dias tive uma dor na coluna que me afastou do computador, este problema me levou a querer experimentar outras formas de arte que me colocasse em outra postura, por exemplo em pé. Sempre tive muito receio em desenhar em pé, estou tendo que reaprender a olhar o plano.

Já tinha visto algumas pinturas em acrílico e sempre considerei que algum dia tentaria. Pois bem, este é o dia! Primeiro precisei montar um material básico. Um pacote de tintas primárias, um set de pincéis padrão e um bloco para testes. Com isto comecei a brincar um pouco e percebi que eu ia amar continuar.

Depois de alguns testes e erros resolvi partir para uma pintura completa. Eu resumo o início em MEDO, neste universo sem o “crt-z”, qualquer erro e a pintura pode estar perdida, ainda existem alguns recursos para poder salvar a pintura como transformar a área em outra coisa ou cobrir depois de seco, mas considere que estes paliativos as vezes só pioram o resultado final.

Alguns cuidados e técnicas que aprendi até o momento:

  • O formato do pincel é um dos grandes responsáveis por muitos efeitos que você vê por ai. (nuvens, folhas, flores e outros)
  • A quantidade de água junto a tinta determina a opacidade da cor. Também percebi que um pincel mais hidratado leva o traço mais longe.
  • Acrílico é água.
  • Considere comprar um set básico de cores, aprenda a misturar as cores. Minha noção do digital me ajudou, mas ter o resultado das misturas em sua mente vai previnir erros de encontros tonais.
  • Comece com um esboço! Desde o digital eu sempre faço um pequeno estudo do que eu quero pintar. É um boa prática, depois trace um esboço diretamente na tela.
  • Nunca deixe os pincéis com a cerdas para baixo de molho na água. Se fizer isso pode jogar fora o pincel pois ele vai perder seu formato e ele não vai mais ter o efeito proposto pelo pincel.
  • Este é meio obvio, mas o fundo vem antes… Nem sempre. 🙂
  • Pra valer, compre um bloco de papel especial para tinta acrílica, normalmente as folhas tem 400g! Ou parte direto para uma tela, como vai muita água o papel de gramatura inferior vai entortar.

Eu sou veterano em pintura digital mas novato com pintura e tintas reais. Aqui quero compartilhar minhas primeiras experiências com arte e tinta com os leitores do meu blog. Na internet você acha um monte de “mestres” pintando pelos cotovelos, as vezes em vídeo acelerado, mas poucos comentam suas dificuldades, e é justamente o que pretendo abordar neste post e em minhas experiências futuras.

minha primeira pintura.

IMG_1375

Da Ilustração para o Game Design

Eu sempre gostei de desenhar por que é onde eu encontro a paz para expor minhas idéias. Durante a minha jornada na aventura do conhecimento muitos meios de comunicação me foram apresentados, e a cada mergulho nestes meios eu ampliava meu universo de possibilidades.

Dentre as muitas coisas que aprendi as principais são, modelagem 3D, animação em 3D e 2D, edição não-linear, criação de músicas, criação de efeitos especiais, fotografar,  design gráfico e finalmente o momento que eu me encontro agora o de criar um bom jogo. A verdade é que minha viagem pelo conhecimento sempre teve um único propósito, melhorar a maneira de expor minhas idéias.

Quanto melhor eu conseguia expor estas idéias mais eu me sentia confortável para continuar naquela área. Na verdade meu caminho nunca foi sobre ilustrar como alguns pensam que é, o fato é que a ilustração foi algo que entrou em minha vida em um momento muito apropriado e por isto hoje sou conhecido por algumas destas grandes ilustrações.

Desenhos
Organizando minhas ilustrações

Toda a minha bagagem de “gamer” jogador de video games e toda esta experiência que adquiri durante estes anos todos abriram um universo de possibilidades para expor minhas idéias de uma forma mais clara. Um dos resultados são cinco prêmios consecutivos no concurso de desenvolvimento de jogos sobre empreendedorismo promovido pelo SEBRAE.

_DSC0110
Equipe Fábrica de Chocolate

Mas o que é Game Design em minha opinião? 

Tecnicamente e resumidamente é a criação da experiência de jogo juntamente com um conjunto de regras. Mas apaixonadamente eu diria que é a possibilidade de criar um universo aonde eu posso expor minhas idéias e te convidar para brincar com elas.

Ainda sobre este concurso, o importante é você deve entregar o jogo finalizado e sem bugs. Diferente de muitas coisas erradas que acontecem em nosso país que com apenas algo escrito você define quem vence e no final temos um monte de projetos que literalmente roubaram o dinheiro e a oportunidade de que faz.

Dentre as bobagens que já escutei sobre este concurso, a pior foi que ele seria injusto com os desenvolvedores que trabalharam e não se classificaram porque não ganham nada. É engraçado ouvir isto principalmente de pessoas que trabalham no mercado. Será que elas nunca fizeram jogos para as lojas on-line que não renderam absolutamente nada? Eu já e muitos!

Mas e todas estas habilidades adquiridas? E a ilustração? O fato é que continuo fazendo de tudo um muito e todas estas habilidades hoje são necessárias em minha jornada indie já que cada uma delas seria um profissional muito bem pago… Meu conselho? Se você está começando não desista, e quando alguém fizer comentários negativos (idiotas) transforme-os em carvão para sua fornalha. Força Indie!

Para jogar todos os jogos do SEBRAE acesse: JOGAR

Jogo: Fábrica de Chocolate – Desafio SEBRAE 2014

MainScreen

Ganhamos novamente o concurso nacional de desenvolvimentos de jogos empreendedores promovido pelo SEBRAE!

O concurso cresceu, foram 470 jogos inscritos vindos de todos os cantos do país e agora o evento teve uma apresentação de primeira com direito a “oscar go to” na sala de eventos especiais do SEBRAE. Não faltou a tradicional contagem regressiva do 10º ao 1º, que eu particularmente acho tenso mas ao mesmo tempo me divirto um bocado. 🙂

Segundo lugar foi a nossa colocação final, mas eu considero que todos os 10 primeiros colocados são vencedores, todos foram bem premiados. O prêmio ajuda de forma verdadeira a indústria de jogos do nosso país,  além do destaque na imprensa nacional, sem falsas promessas e com chances reais a todos os participantes impulsiona o empreendedorismo individual das equipes com o prêmio. Eu sou muito grato por existir um concurso desta grandeza em nosso país e também por ser um dos vencedores.

Tivemos um pouco mais de tempo para fazer este jogo, ao contrário do primeiro que fizemos praticamente em 2 semanas este fizemos em pouco mais de 3 semanas. No Fábrica de Chocolates formamos a mesma equipe de ouro do Fazendinha. Eu Leonardo Amora como Game Designer/ Artista / Músico,  Silvair Frazão como Artista Técnico/ Animação e o Otto Lopes como Programador. Não teve descanso, queríamos atingir uma qualidade superior com um design de jogo divertido.
Nesta aventura o Sr. Leite tem que conseguir entregar o pedido correto e no tempo certo para o Sr. Cliente, fazendo isto ele garante sua viagem para a Suíça para conhecer e aprimorar seus conhecimentos chocolacionais.

O SEBRAE jogou mais carvão na nossa fogueira indie e nossos projetos pessoais estão a caminho, tem muita coisa legal para anunciar mas tudo está em estágios diferentes de produção, esperamos em breve ter muito mais para divulgar! Queria também agradecer a todos que acompanham o blog, eu escrevo tudo isso para vocês.

play

Indie: Entrando no jogo

São quase 10 anos trabalhando com desenvolvimento de jogos, parte deste tempo trabalhando para empresas e parte deste tempo prestando serviços para outras empresas como amoraleite.com. Mas foi em agosto de 2013 decidi desenvolver jogos de forma independente e os primeiros resultados foram o Monstros vs Robôs e o Beyond The Skies, jogos que fiz sozinho.

Monsters vs Robots  A fun application that contains a book and several interactive games for fun. With an exciting narration written and spoken in English and Portuguese , the story chronicles the conflict of Nino, a small boy who uses imagination to overcome the problem of sleeping in the dark. For Children’s: (3-6 years), languages portuguese and english.   Simples e direto! Construir o edifício mais alto que puder em um modo de um jogador! Grave sua pontuação e desafie os seus amigos através do Game Center!  Desafie um amigo em um modo de 2 jogadores para colocar a próxima peça sem deixar cair tudo! Quem deixar o edifício desmoronar perder o jogo!    TheFlightTest128

Baixar os jogos

Depois de conquistar 2 vezes o segundo lugar no concurso nacional de criação de jogos empreendedores do SEBRAE, aonde o número de jogos inscritos somavam cerca de 850 entre os dois concursos, uni forças com meu amigo programador Otto Lopes para elevar os jogos a um novo nível. Lançamos o nosso primeiro jogo Flappy Bird clone que fizemos do zero em 4 dias para testarmos nossos recursos e estabelecer um workflow de trabalho, o nome The Fligh Test representa este nosso primeiro voou de teste!

Não é nada fácil! Este tempo todo trabalhando para a indústria foi o que me possibilitou ter recursos para entrar nesta jornada indie. O fato é que sempre é difícil abrir seu próprio negócio seja uma padaria ou um estúdio de desenvolvimento de jogos, exige muito trabalho, dedicação e disciplina. Quando decidi ser artista/designer e viver disto sofri muito preconceito, principalmente dos mais próximos, diziam que isso não era profissão e que eu deveria estudar para ser arquiteto, advogado ou professor seguindo o meio acadêmico… Eu só pensava em continuar… Mas foi trabalhando com video games que o preconceito aumentou consideravelmente. A pergunta mais comum que escuto dos meus colegas é, você ainda esta fazendo joguim? As pessoas em geral tem a idéia de que trabalhar com jogos é jogar o dia todo, uma vida de prazeres e riquezas fáceis. E para piorar a mídia ressalta ganhos exagerados como no caso do Flappy Bird que rendeu 50 mil dólares por dia para o colega Dong Nguyen ou da empresa Supercell que tem o faturamento estimados em 1 milhão de dólares por dia. Isso tudo gera aquela falsa idéia de que é muito fácil ficar rico criando jogos. Se contar a história do caminhoneiro que ficou rico vendendo sanduíches será que todo mundo vai querer abrir uma lanchonete? ( McDonald’s )

Coloquei este post na área tutoriais para contar um pouco da minha experiência a vocês leitores. Então eu diria para ir devagar com este pensamento de ficar rico. Trabalhar com jogos é a mistura de todas as artes, mídias e ainda estar na vanguarda do conhecimento tecnológico. É muitas vezes arriscar criando algo que ninguém nunca fez e que no momento só você acha que é bom. É entender e conhecer bem todos os sentidos humanos, afinal você está lidando com todos eles, em um jogo o jogador escuta, vê e interage com tudo aquilo que você criou. Diferente da TV que se assiste passivamente. Em fim criar seu próprio jogo é criar seu próprio produto, e é ai que entra outra área muito importante neste negócio, vender. Como em qualquer negócio desenvolver jogos tem risco e apostar em algo totalmente novo ou algo grandioso aumenta a probabilidade de se falhar. Falhar não é bem uma opção em um mercado tão caro, competitivo e rápido quanto este. Por isso vem o que eu considero um dos pontos mais importantes no processo de desenvolvimento de um jogo.

  • Qual é a vantagem em seguir jogos de sucesso? (mecânica, gameplay, visual, etc…)
  • Qual segmento de mercado o meu jogo se encaixa? ( crianças, adolescentes, meninos, meninas, categoria do jogo, etc…)
  •  Qual a minha capacidade de desenvolvimento? Em outras palavras, quanto tempo levo para desenvolver determinado jogo ou parte dele?
  • Quais recursos vou precisar e quanto custa em tempo ou dinheiro determinada tecnologia?
  • Quais as particularidades de cada loja, dispositivo e grupo de consumidores?
  • Qual o melhor Meio de monetização para meu jogo?

São perguntas que me faço na hora de planejar um jogo. Com a maioria destas respostas com certeza você será mais acertivo em um próximo grande projeto. Todo negócio é gradual, a menos que se tenha um grande investimento a espera o mais certo é começar testando cada etapa do processo. Esta lista sempre está sendo atualizada por mim, está longe de estar completa.

Os primeiros aplicativos

O aplicativo Monstros vs Robôs foi minha entrada no universo da programação e me ajudou a desenvolver a minha antiga paixão por criar músicas. O MvsR foi um destes projetos que você investe mais do que o necessário e acabou ficando maior do eu gostaria. Quando digo maior não quero dizer que é um projeto grandioso, e sim maior do que eu poderia dar conta sozinho.

En01      

O Beyond the Skies e o The Flight Test são aplicativos gratuitos, foram relativamente rápidos de se fazer e estes são verdadeiros exemplos de caçadores de métricas. Com estes jogos obtive muitas das respostas que precisava. O The Flight Test, é um clone da mecânica do Flappy Bird e é o primeiro trabalho concluído com meu parceiro Otto Lopes. Não usamos templates, fizemos isso para medir a velocidade do nosso desenvolvimento e testar ferramentas. O Beyond desenvolvi sozinho usando o Corona, eu queria conhecer melhor o código LUA e testar melhor o SDK que achei perfeito pra quem está começando a programar.  Com certeza em nenhum momento pensamos em ficar ricos com estes aplicativos. 😉

Beyond Flight

Obrigado pela visita! 😉

Os números da amoraleite.com

2013:
A sala de concertos  Sydney Opera House suporta 2.700 pessoas. Este site foi visto cerca de 12.000 vezes em 2013. Se fosse um concerto no Sydney Opera House, seria o mesmo que 4 vezes a lotação máxima de um concerto.
Click here to see the complete report.

2012:
600 pessoas chegaram ao topo do Monte Everest em 2012. Este site tem cerca de 
7.400 visualizações em 2012. Se cada pessoa que chegou ao topo do Monte Everest visitasse este blog, levaria 12 anos para ter este tanto de visitação.
Clique aqui para ver o relatório completo

2011:
Um bonde de São Francisco leva 60 pessoas. Este site foi visitado cerca de 3.300 vezes em 2011. Se fosse um bonde, eram precisas 55 viagens para as transportar.
Clique aqui para ver o relatório completo

2010:
Um Boeing 747-400 transporta 416 passageiros. Este site foi visitado cerca de 2,000 vezes em 2010. Ou seja, cerca de 5 747s cheios.

 

 

Livro interativo: Monstros vs Robôs


960x320withoutSeal

Introdução.

Monstros vs. Robôs é o primeiro projeto de muitos que ainda virão de um sonho de criar meus próprios jogos. Trabalhei e estudei muito para alcançar o objetivo de realizar este livro+jogos para crianças. Com esta realização minha empresa se torna mais uma desenvolvedora de jogos no cenário nacional.

Mercado de trabalho. 

No início da minha carreira profissional falar em jogos aqui no Brasil era somente falar de como se vence um jogo ou de como se faz mais pontos em uma determinada fase. Eu venho da época em que a notícia chegava através de revistas especializadas no assunto e que a internet ainda não era nada além de um desejo.
Meus primeiros empregos foram em produtoras e agências criando vinhetas gráficas, editando e finalizando comerciais para TV, webdesign e design gráfico, minha formação. Era o que tinha de mais próximo da área de criação de jogos. Hoje tenho certeza de que todos estes anos de trabalho e estudos contribuíram para meu ingresso na indústria de jogos com várias habilidades diferentes. E foi aqui em Porto Alegre – RS, que trabalhei durante 6 anos  para a Southlogic/Ubisoft diretamente com o desenvolvimento de jogos para vários consoles, uma grande realização para qualquer um que deseja trabalhar com jogos. Ficar perto das grandes empresas e ver como tudo funciona.

2 years of illustrations
amoraleite.com years of art

Dois anos e meio amoraleite.com

Com o fechamento do estúdio em janeiro de 2011, fundei a amoraleite.com, minha empresa de serviços de arte para jogos, e que é formada apenas por mim. Desde então tenho desenvolvido trabalhos de arte para várias empresas e pequenos desenvolvedores de jogos do Brasil e do mundo. Em sua maioria são produtos orientados para crianças, tais como livros infantis, jogos digitais, jogos de cartas e jogos de tabuleiro, aqui no blog você vai encontrar um making-of para cada um destes projetos. Agora chegou a hora de apresentar para todos o meu grande projeto.

Monstros vs Robôs

Um divertido aplicativo para as crianças de 3 a 6 anos de idade que contém vários jogos e um livro com mais de mais de 20 páginas interativas com a história falada em Inglês e Português. A história narra o conflito de Nino, um pequeno menino que usa a imaginação para superar o medo de dormir no escuro.

Características: 

• Livro interativo com mais de 20 cenas interativas.
• Aplicação em Inglês e Português, com narração escrita e falada com uma performance engraçada.
• 30 quebra-cabeça para montar e encontrar os nomes de todos os 30 personagens.
• Encontre as estrelas dos sonhos escondidas em toda a história para revelar surpresas!
• Máquina de monstro para você montar seu próprio monstro, deixar seus filhos soltar a imaginação.
• Vários elementos interativos com animações divertidas e sons estimulantes espalhados por todo o aplicativo.
• Juntamente com a força da interação, uma história bonita, que mostra que tudo é possível com a imaginação.

Educação:

Um livro interativo que trabalha o mundo imaginário da criança. A história relata o medo do escuro e a sua representação no emocional infantil.
O livro desenvolve nas crianças o gosto pela leitura utilizando uma narrativa simples com imagens super coloridas e cativantes.
O quebra-cabeça estimula a percepção visual e lógica, e a motricidade da criança.
O aplicativo desperta na criança a curiosidade com diversas interações espalhadas em todas as páginas.

Icon1

Available now!

Quer baixar? É só clicar nestes links abaixo para Ipad,Iphone,Ipod ou Android celular e tablet.

applestore    google

Link for US version

Selo de qualidade e segurança

Aplicativos criados para crianças são levados muito a sério quando se trata de proteger a integridade dos pequenos. Um aplicativo para criança deve ter critérios específicos de segurança, como por exemplo não ter propagandas que faça a criança clicar inadvertidamente ou  sistemas de compras internas que podem prejudicar de alguma forma a experiência do seu filho. Todos estes pontos são avaliados criteriosamente por esta organização que aqui no Brasil conhecemos como ONGs. Se aprovado você pode a vir a se torna um parceiro/membro e consequentemente pode usar o símbolo do site em seu aplicativo como um selo de qualidade. consulte a lista de parceiros no próprio site assegurando que o desenvolvedor está cadastrado. Nós estamos! É uma conquista para vocês mamães e papais!

header_logo-d9bc247d836b842040312c2d8e533109

captura-de-tela-2013-10-23-c3a0s-12-56-32

Reviews/Criticas e notócias

 


DS_Logo       Kwiksher-logo-header


Arte Conceitual


Espero sua compra!  😉